CHINA – ABC DOS SABORES / PARTE 1

Se imaginarmos que o território da China é quase do mesmo tamanho de todo o Continente Europeu, depressa percebemos que não é fácil caracterizar a gastronomia do país como um todo. ​

 

CHINA – ABC DOS SABORES / PARTE 1

 

Carne: sempre presente, e sempre fresca. Um dos requisitos  essenciais da cozinha chinesa, muito apreciada pelas suas propriedades revigorantes.
A carne de porco será a mais comum, substituída pela carne de vaca ou carneiro nas regiões de tradição muçulmana.
A carne de galinha do campo é tão popular que,nas regiões do Centro e Sul, é  comum as pessoas terem criação própria.

Já mais para Norte a paisagem campestre está recheada de patos e gansos.

Arroz: mais predominante no sul, é uma das culturas de maior peso na agricultura chinesa. Faz parte de todas as refeições (à excepção das em que se opta por massas).


O arroz branco é cozido sem tempero e serve de contra ponto aos  excessos dos restantes pratos; já o arroz salteado e arroz frito, com diversos recheios constituem pratos muito nutritivos.​


A fermentação do amido de arroz dá origem ao vinho de arroz, com teor alcoólico entre os 18 e 25 graus.

E à aguardente de arroz, cujo teor oscila alcoólico entre os 40 e uns impressionantes 70 graus.

Mais dicas

Chá: O verde é o mais antigo mas há outros: preto, branco, vermelho… Saboroso, aromático e benéfico para a saúde.

O chá terá sido descoberto, segundo a lenda, por acidente na China de há 5.000 anos.
Os monges budistas trataram de cultivar o arbusto Camellia sinensis e os portugueses “importaram” o ritual por altura dos descobrimentos

.​Foi D. Catarina de Bragança que apresentou o chá à Inglaterra e os Açores são o único território da Europa onde se produz.

Chop Suey: mistura de culturas; é capaz de ser o prato chinês mais conhecido em todo o mundo.
​Numa tradução livre, significa “mistura de bocados” e, na prática, é isso mesmo: um salteado de vegetais (rebentos de soja, couve, aipo, cogumelos…).

Com um molho condimentado, que pode ser servido simples ou guarnecido com camarões ou pedaços de carne (vaca, galinha ou porco).

Dim Sum: Existe pouco por todo o país, mas atinge o pico da variedade na região cantonesa.
Consiste numa degustação de pequenas iguarias, como crepes massas recheadas com camarão e espargos, pão chinês. Cajus com mel e coco, bolinhos de sésamo ou fritinhos (wontons) de inhame e camarão, para referir apenas alguns.

​Na China, é pretexto para outro ritual, yum cha, que significa “beber chá”. Juntos chegam a durar uma manhã.

A sua opinião é importante para mim! Obrigado pelo seu comentário. Beijinhos

%d bloggers like this: